PGBL ou VGBL? Eis a questão.

Já falei aqui no blog sobre previdência privada e sua importância veja aqui, e na hora de fechar a sua, tenha em mente alguns cuidados, pois nem sempre as simulações que nos são apresentadas são reais.

Os bancos adoram florear a venda da previdência privada falando sobre seu futuro e sua segurança na terceira idade de uma maneira que você se rende e nem percebe o que está comprando.

Outro fator importante é que em qualquer site de previdência ou até mesmo no banco, a taxa de rentabilidade média que é utilizada para fazer a simulação pode ser mais alta do que a realidade de mercado. Fique de olho nisso para não ter nenhuma surpresa no futuro!

Você sabe a diferença entre PGBL e VGBL?

PGBL – Ideal para quem declara o IR pelo modelo completo e contribui para o INSS. Permite o benefício fiscal na declaração de imposto de renda. Os valores investidos no plano podem abater até o limite de 12% da base de cálculo. No momento do resgate o IR incide sobre o valor total resgatado.

VGBL – Ideal para quem é isento ou declara o IR pelo modelo simplificado. Também para quem deseja aplicar mais de 12% da sua Renda Bruta em Previdência, ou apenas diversificar investimentos. Os valores investidos no plano não são dedutíveis do Imposto de Renda. No momento do resgate o IR incide apenas sobre os rendimentos. As contribuições realizadas não são tributadas.

Veja como é a tributação desse tipo de investimento:

Tabela Progressiva: Alíquota única de 15% a título de antecipação, com ajuste a maior ou a menor na Declaração do IR. Essa tabela é ideal para quem pretende realizar o resgate do dinheiro investido antes do prazo da aposentadoria.

Tabela Regressiva: Alíquota inicia-se com 35% nos primeiros 2 anos e pode chegar até 10% após 10 anos de permanência no plano. Essa tabela é ideal para quem optar por deixar o dinheiro aplicado por mais tempo, ou quem quer se aposentar com no mínimo dez anos de contribuição.

Gostaram da informação?

By Maria Carolina Mattos